this is a heart beat

solidez de Peiote dos corredores, aurora de fundo de 

    quintal das verdes árvores do cemitério, porre de vinho
    nos telhados, fachadas de lojas de subúrbio 
    na luz cintilante de neon do tráfego na 
    corrida de cabeça feita do prazer, vibrações de 
    sol e lua e árvore no tronco de crepúsculo de 
    inverno de Brooklyn, declamações entre latas 
    de lixo e a suave soberana luz da mente…,”

Subi de volta as escadas

procurei o dinheiro

não havia dinheiro pra jogar fora.

Só restava a Morte no quarto

escondida atrás da pia da cozinha:

“Não sou real!” gritou

“Não passo de um rumor espalhado pela vida…”

Atirei-a fora com a pia e tudo, sorrindo

e então notei que o Humor

era tudo que havia restado –

Tudo que pude fazer com o Humor foi dizer:

“A janela fora com a janela!”

"Eles quebraram suas costas erguendo Moloch ao Céu! Calçamento, arvores, rádios, toneladas! Levantando a cidade ao Céu que existe e está em todo lugar ao nosso redor! Visões! Profecias! Alucinações! Milagres! Êxtases! Descendo pela correnteza do rio americano! Sonhos! Adorações! Iluminações! Religiões! O carregamento todo em bosta sensitiva! Desabamentos! Sobre o rio! Saltos e crucificações! Descendo a correnteza! Ligados! Epifanias! Desesperos! Dez anos de gritos animais e suicídios! Mentes! Amores novos! Geração louca! Jogados nos rochedos do Tempo! Verdadeiro riso no santo rio! Eles viram tudo! O olhar selvagem! Os berros sagrados! Eles deram adeus! Pularam do telhado! Rumo à solidão! Acenando! Levando flores! Rio abaixo! Rua acima"

Ofereça a eles aquilo que mais desejam secretamente;

é claro que entrarão em pânico imediatamente.”

"Ao ouvir doce síncope

E a música lamentar-se suavemente

Não é pecado arrancar sua pele

E dançar ao redor de teus ossos

Quando ficar muito quente para conforto

E você não conseguir um sorvete de casquinha

Não é pecado arrancar sua pele

E dançar ao redor de teus ossos

Assim como aqueles agitados garotos

Na área tropical dos mares do sul

Não é pecado arrancar sua pele

E dançar ao redor de teus ossos”

Espírito

é Vida

Ele flui por entre

a morte de mim

initerruptamente

como um rio

sem medo

de tornar-se

o mar”

Os corpos quentes

brilham juntos

na escuridão, 

a mão se move

para o centro da carne,

a pele treme na felicidade

e a alma sobe

feliz até o olho —”